sexta-feira, 16 de julho de 2010

Alunos são barrados ao entrar no Bom Jesus/IELUSC

Ontem, quinta-feira, 15 de julho, foi o Dia Mundial do Rock. Este estilo musical ficou caracterizado por romper com valores morais de uma sociedade e criar novos paradigmas. Um estilo polêmico. E, ironicamente neste dia, houve uma ruptura com tudo o que eu julgo certo e ético exercida através de ações resultantes da atual postura adotada pelo Bom Jesus/IELUSC, para com os cursos de Comunicação.


O incidente ocorreu perto das oito horas da noite, ao tentar entrar na faculdade para pagar uma dívida a uma amiga (inclusive, proveniente de custos de materiais usados em disciplinas do curso) que se encontrava em aula. Para minha surpresa, o guarda da instituição, que, aliás, é uma pessoa que estimo muito e vice-versa, tentou me impedir de ter acesso ao recinto. Ele me barrou na entrada do estabelecimento alegando que alunos em situação de matrícula irregular estão impedidos de transitar pela faculdade no período noturno, podendo assim, transitar apenas no horário comercial, em que o setor Financeiro da faculdade funciona. Porém, com muito diálogo, ele acabou abrindo uma exceção e me liberando apenas nesta noite para eu entrar rapidamente e cumprir com as minhas obrigações pessoais. Incidente ultrajante que me faz pensar, qual o motivo desta sanção ao direito de ir e vir? Pressionar-me ao pagamento integral, à vista, da minha dívida para com a faculdade? Sendo que eu desejo quitar esta dívida a um bom tempo, mas venho tentando, sem sucesso, renegociar o pagamento em parcelas ao longo do ano. Poderiam alegar que o motivo para impedir a circulação seria segurança? Se pessoas circulam livremente para visitar a igreja, que fica no mesmo pátio que a faculdade, sem ter como serem identificadas, torna-se este um argumento sem sentido algum. Poderiam estar tentando impedir as reuniões dos grupos de trabalho do DACS (Diretório Acadêmico Cruz e Souza), que vem tentando cordialmente colaborar com estratégias e ações para manter a qualidade dos cursos de Comunicação, já que possivelmente este grupo não seja bem visto pelo conselho que decide as estratégias da instituição (ou, no mínimo, desconsiderado).


O fato é que isto foi uma situação muito constrangedora. Mais que isso, extremamente irritante. Quando questionei ao guarda como ele sabia da minha situação de matrícula, ele me confirmou o que eu já pensava: há uma lista de pessoas que estão impedidas de circularem pela faculdade durante o período noturno, pessoas que não estão com as matrículas completamente regularizadas.

“Eu sou seu amigo, não gostaria de fazer isto com você, mas foram ordens que recebi. Assim como você, há outros na mesma situação.”

Eu não fiquei nem um pouco chateado com o guarda da portaria, pois entendo a sua situação. Porém, fiquei muito, mas muito decepcionado com a política adotada pelo conselho que decide as ações da nossa instituição. Isto não é maneira de lidar com um aluno que está a cinco anos na faculdade, tentando concluir a sua formação, restando apenas a monografia para a conclusão.

Cada vez mais este discurso adotado nas aulas magnas, para os alunos ingressantes, parece ser balela para iludir as mentes virgens de ensino superior ...
“somos uma instituição comunitária confessional... não nos preocupamos com o lucro sobre o ensino, mas sim apenas em prestar uma educação de alto nível, exemplar.” (Vocês já devem ter escutado coisas do tipo nas aulas magnas.)

Balela! Usar o histórico de fundação do curso, ligado a princípios teológicos, para “embasar” uma política voltada exclusivamente para a qualidade do ensino, é revoltante para muitos alunos. É para mim. O que não quer dizer que eu não tenha fé. Pelo contrário, tenho sim muita fé, mas em primeiro lugar não acho ético associar a imagem de uma religião a um serviço privado prestado, mas já que isto acontece, que pelo menos fossem honestos na postura voltada a qualidade que dizem ter. Em momentos de crise, as medidas adotadas estão apenas cortando gastos em depreciação da qualidade do ensino e projetos de pesquisa e extensão. E isto não nos deixa felizes. Uma série de fatores faz o curso estar muito diferente do que era quando eu e outros alunos resolvemos nos matricular, cursar Comunicação Social no Bom Jesus/IELUSC. Somente esta queda na qualidade já nos faz sentirmo-nos trouxas, visto que assinamos contrato pensando ter uma qualidade e atualmente recebemos outra. E nos sentimos mais trouxas ainda quando somos tratados dessa maneira por nossa própria faculdade.
Se isto é uma faculdade comunitária confessional, baseada em princípios cristãos, tenho medo de pensar o que não é.

E que fique bem claro, que dentro das ordens dadas ao guarda da portaria, ele tentou ser o mais gentil possível comigo. Ficou visível que ele não estava nada feliz em me barrar. Seria injusto qualquer tipo de advertência a ele. Se alguém merece ser advertido, deveria ser quem proibiu a entrada de tais alunos.

11 comentários:

Dudu disse...

Hoje, pela manhã, me ligaram dizendo que estão dispostos a renegociar a dívida com uma entrada menor que os 50% exigídos até então. Se tudo der certo, segunda-feira já regularizo minhas pendências financeiras, na sequência minha matrícula, e espero então poder circular pela faculdade novamente.

16 de julho de 2010 13:08
Dudu disse...

O Dia Mundial do Rock foi dia 13, e não no dia do ocorrido - 15/07. Perdão pela confusão, escrevi a carta ainda de cabeça quente com o incidente.

16 de julho de 2010 13:23
Ariane disse...

Foda! Essa história tá muito palhaçada, decepcionante. A carta escrita não disse nada com nada - não nos interessa a relação religião x faculdade de comunicação. Acham que os alunos são burros.

16 de julho de 2010 17:22
Marcus Vinícius disse...

e, realmente, seremos burros se deixarmos o semestre passar em branco.

este é o nosso momento.

16 de julho de 2010 22:32
Jani disse...

E se vc falasse que ia na igreja? Eles não iam poder impedir de circular pela faculdade. Nossa que ridículo isso. Que eu saiba eles não poderiam ter feito essa lista para impedir esses alunos de circular pela faculdade. Não existe isso em faculdade nenhuma. Corre atrás disso e mete um processo em cima deles! Todos tem o direito de ir e vir.

17 de julho de 2010 11:02
Jani disse...

"O aluno inadimplente não pode sofrer nenhum tipo de pressão do estabelecimento de ensino para pagar a dívida com a escola. É o que diz a lei 9.870 de 1999, que dispõe sobre as mensalidades escolares.

A instituição não pode impedir que o estudante tenha acesso aos seus direitos acadêmicos, ou seja, não pode suspender provas, reter documentos (entre eles o diploma) ou aplicar qualquer outro tipo de penalidade pedagógica por conta do débito."

Fonte: http://blogs.estadao.com.br/advogado-de-defesa/escola-particular-nao-pode-constranger-a/

17 de julho de 2010 11:22
Marcus Vinícius disse...

exato!
essa vai pra lista de processos.

17 de julho de 2010 14:06
Ariane disse...

Temos que ir com tudo pra cima deles então. Eu serei obrigada a me matar agora pra me formar no final do ano que vem, ou terei que me mudar para a grade nova (OU SEJA: gastar mais do que o necessário pra me formar). Não tenho culpa se essa faculdade é cara, meu pai não quis pagar e eu tive que deixar algumas matérias de lado pra que minha mãe desse conta de patrocinar. Dizem que é resolução do Mec. Estou pra conferir isso com o Procon e informo vocês.

17 de julho de 2010 15:47
Dudu disse...

Ari, por favor, confira isto. Pois estou na mesma situação que você e mudar para uma nova grade seria muito sem noção.

Sobre o que me indicaram de processo, não entrarei com ação alguma na justiça. Não preciso disto. O que quero, é apenas que essa faculdade seja honesta com seus estudantes. Nos fazem um discurso, mas suas ações são totalmente inversas.

18 de julho de 2010 11:43
Rafael A. Silva disse...

Só um pitaco sobre a questã legislativa...

A Lei acerca do constrangimento só se aplica no decorrer do ano/semestre letivo:

Artigo 6o, da referida Lei: "São proibidas a suspensão de provas escolares, a retenção de documentos escolares ou a aplicação de quaisquer outras PENALIDADES PEDAGÓGICAS por motivo de inadimplemento (...)"

Entre os semestres, ou entre os contratos, o aluno inadimplente só tem o direito de TENTAR negociar a dívida com o financeiro da faculdade, restando a esta TODO O DIREITO de efetivar a matrícula OU NÃO:

Artigo 5o: "Os alunos já matriculados, SALVO quando inadimplentes, terão direito à renovação das matrículas (...)"

O link da Lei n. 9870:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9870.htm

21 de julho de 2010 14:26
Diretório Acadêmico Cruz e Sousa disse...

Teoricamente, Ielusc não para o ano letivo... já que tem matérias optativas durante as férias.

Eu acho.

21 de julho de 2010 20:41

Postar um comentário